Postagens populares

terça-feira, 12 de julho de 2011

A Páscoa

 
 É muito rico vivenciar intensamente o período da Páscoa junto com as crianças.

                       
                              

                             Galinhos, galinhas, cordeiros de tricô, crochê ou outros materiais, simples de     
                                         confeccionar, quem sabe até com a participação das crianças.



                                     Os ovos da Páscoa estão sempre presentes, símbolo da vida.

                                 
                                         cerquinha fácil de fazer, com tronquinhos e pauzinhos


e a borboleta não poderia faltar, símbolo da transformação que esta época deve inspirar.


sexta-feira, 29 de abril de 2011

As épocas do ano: Páscoa, Festas Juninas, Primavera e Natal

As festas marcam o ritmo do ano. Algumas delas são mais ou menos festejadas que outras. Comemorar ou vivenciar estas festas de forma bastante rica se torna um alimento para a criança e por que não dizer, para a família toda.
Criar no ambiente um espaço especial para que alguns elementos possam representar esta passagem do ano se torna uma brincadeira saudável em que todos podem participar, o que propicia mais vida à comemoração. Confeccionar os elementos junto com a criança, arrumá-los com beleza e harmonia podem trazer uma compreensão maior do momento espiritual da época sem a necessidade de explicações verbais. É o caminho mais prático e simples para o desenvolvimento do respeito e veneração. Estes atributos atualmente precisam de ser reforçados pelo atuar do adulto junto às crianças. Estes valores, que outrora nos era dado como um presente, na atualidade precisam ser conquistados. E esta conquista exige dedicação, repetição, ritmo. E as crianças são os nossos melhores ajudantes nesta prova de perseverança e paciencia que fazem parte da auto-educação do adulto.


Paulatinamente postaremos algumas fotos inerentes a cada festa do ano.

A primavera

Antes de chegar a primavera serão postadas fotos de festas e algumas sugestões para comemorar esta maravilhosa época do ano.

Natal - os preparativos - o presépio

O presépio pode se tornar uma bela preparação para o Natal. Começando pelos minerais, seguidos da vegetação, depois os seres vivos até culminar com a chegada do Menino Jesus, este período poderá ser acompanhado com belas histórias. As crianças em geral gostam de movimentar as figuras do presépio a partir das histórias que a elas são contadas pelos adultos. Isto torna este período pré natalino bastante vivo e alegre. Se estas histórias forem contadas à noite as crianças poderão levar para o sono belíssimas imagens o que fortalecerá sua imaginação e fantasia, elementos essenciais para o crescer saudável.


Segue um modelo de presépio, trabalho manual simples e criativo:


 




 

 


os três simpáticos pastores Chico, João e Pedro, o mais velho. Eles trazem a sabedoria popular e suas palavras soam simples e verdadeiras.



 


os três reis magos: Baltazar, Belchior e Gaspar, estudiosos das estrelas...





Esta menina ilustra a bela história de Ruth, que vai ao poço pegar água mas antes se distrai observando um brilho maior e especial no céu. A água se transforma em água dourada e curativa.

                          
 


Os ratinhos também são convidados especiais para a grande festa. Eles são convidados pelo Anjo a colaborar com a limpeza do espaço, já que o boi não tem a mínina vontade de ajudar... por isto são os primeiros a ver o nascimento do Menino Jesus.

 



conta ainda a história que as pedras ponteagudas se transformavam em pedras brilhantes e arredondadas quando Maria passava...

e durante o árduo caminho, a pedra que insistia em obstruir o caminho apesar de ter sido inúmeras vezes retiradas por homens fortes...
 Como não tinham resposta para suas perguntas procuraram um santo homem, solitário, que vivia num casebre na floresta e contaram a ele sobre a pedra, que voltava sempre ao mesmo lugar. O santo homem ouviu com atenção, acenou com a cabeça e falou para eles: "Aquele que vai poder rolar a pedra da estrada ainda não apareceu. Deixem a pedra onde ela está, entregue a si própria”.

... e com um simples toque do cajado de José ela se partiu e permitiu a passagem...


Um pouco depois o santo homem chegou à estrada. Olhou para a pedra rachada, o cristal que brilhava em seu interior e seus olhos se iluminaram. “Aquele que decididamente tirou a pedra do caminho já apareceu”, disse para si mesmo, e alegrou-se e seu coração encheu-se de esperança. 

E assim seguem as histórias contextualizadas ao evento natalino...




e ainda tem a história do burrico que não queria mais andar... burro empaca né? este também empacava, até que m dia...



sugestão de presentinhos para o calendário de advento ou não...



presentinho preparado pela turma do terceiro ano da Escola Waldorf Anabá


componentes do reino vegetal para o ambiente do presépio...


um belo calendário de advento pode ser confeccionado com 24 botinhas. A cada manhã uma surpresa para as crianças dentro de uma das botinhas fazem a preparação para o Natal ainda mais especial...

 

sábado, 23 de abril de 2011

brincando de casinha - as roupinhas, os acessórios e o cantinho

sapatinho em feltro elaborado, confeccionado e bordado pela minha querida professora de bordados, Marta Palo, essa bonita aí em cima...





As roupinhas  - Este ítem é de suma importância pois trata de um elemento essencial para o ser humano: a vestimenta.
Procurar um vestir adequado, sem estereótipos, utilizando na melhor forma os materiais naturais é tarefa daqueles que buscam um modo de vida compatível com boa qualidade. Incentivar as crianças a vestir e calçar os seus bonecos adequadamente se transforma em exercício agradável, lúdico, e isto lhe servirá de base para suas escolhas quanto à propria vestimenta.

Os sapatinhos, fáceis de fazer e lindos de calçar...









Os acessórios
Postaremos mais tarde alguns modelos de roupas e acessórios que poderão auxiliar nesta interessante tarefa.

O cantinho




Um cantinho que propicie um brincar descontraido que pode ser incrementado pelas crianças, de acordo com as próprias brincadeiras, com as épocas do ano, com as comemorações enfim...

E é  importante também que o boneco ou boneca tenha um cantinho especial na casa, com sua caminha, cobertor, etc.  Este exercício (brincar de casinha) também se torna em importante ajuda no que se refere à beleza, higiene e ordem das coisas e dos lugares. Com fantasia podemos mostrar à criança esta nuance tão necessária à vida.



sapatinho elaborado, confeccionado e bordado pela minha querida professora de bordados, Marta Palo

Bonecos articulados e muito versáteis -

Denominamos bonecos semi articulados aqueles em que a estrutura interior é preparada com aramado ou material similar, que proporcione movimento. Considero ainda que são além de “articulados”, absolutamente versáteis. Esta versatilidade podemos observar desde a escolha do material , sua confecção e utilização. Temos por exemplo, diversos tipos de arame e diferentes formas de preparar o interior do boneco, de colocar a “pele”, cabelos, vestimenta, etc. Podem ser utilizados em mesas de época, teatrinhos, salas de aula, decoração de ambientes, consultórios infantis, etc. Facilmente caracterizáveis, podem representar culturas, povos, profissões, e de forma lúdica, educar e estimular a imaginação das crianças. Geralmente este tipo de boneco, flexível, chama bastante a atenção dos meninos, que poderão com brincadeiras, exercitar o respeito e possibilidade de expressar seus sentimentos de forma natural e saudável.



Os bonecos articulados são bonecos preferidos por crianças no segundo setênio. Também bastante utilizados em contação de histórias e para compor espaços especiais para comemoração de épocas do ano como festas juninas, presépios etc.

Exigem mais complexidade na sua confecção.


Boneca confeccionada com as formas de corpo semelhantes ao de uma mocinha. Ela foi elaborada para substituir uma Barbie que minha filha Isabel ganhou e foi jogada para o alto pelo irmão Lucas sob o pretexto de que a irmã não deveria ter boneca de plástico... a boneca se despedaçou no chão.
Então
a solução foi criar um clone... e deu certo! as lágrimas da Isabel pararam!



a Marisca, a gata, se intrometeu na foto. Foi até boa ajuda para explicar a proporção de tamanho da boneca.






seus pezinhos de durepoxi, massa para biscuit ou cera de abelhas facilitam o ficar de pé...




ela não tem medo de alturas


mas ele tem... ele só se arriscou nesta foto porque a irmã o fez antes com tanta coragem!


 
 

bonecos e bonecas em lã e malha de algodão

Brincando com bonecos e bonecas

O brincar é o trabalho do mundo infantil.
O que as crianças estão fazendo quando não estão brincando?
O que elas estão aprendendo quando estão brincando?
O que elas não estão aprendendo quando estão brincando?
Elas se esforçam e se dedicam com seriedade às atividades que envolvem o seu brincar que parecem tão fáceis no mundo adulto. Sim, estas tarefas podem parecer fáceis mas não são assim tão simples. Se observarmos bem perceberemos a complexidade de sentimentos, ações e percepções que acontecem às vezes em curtíssimo espaço de tempo em meio às brincadeiras. Elas estão treinando suas habilidades físicas, emocionais e sociais para a sua convivência no mundo.
E os brinquedos deveriam ser amplamente incentivados, da forma mais simples e natural possível pois se tornam elementos-ponte entre as crianças além de ajudar a aprimorar seus doze sentidos. O boneco ou boneca são em geral parte integrante destas cenas tão bem protagonizadas por elas.

Amplamente apoiadas pela Pedagogia Waldorf pois respeitam os requisitos básicos quanto à proporcionalidade, utilização de materiais naturais e outros detalhes que veremos abaixo.
O fato de serem confeccionadas com materiais naturais proporciona à criança a oportunidade de trazer bem para perto de si os elementos da natureza. De forma orgânica e simples a criança pode a partir deste brincar conhecer e respeitar o outro, o meio ambiente e tudo que a cerca. Ela tem junto a si a imagem do ser humano, a imagem de si mesma. Trata-se de um elemento social ímpar, riquíssimo, que em geral não é substituido por outro brinquedo.

O boneco ou boneca
O boneco ou boneca deve ser confeccionada à imagem do ser humano, isto é, respeitando proporções, sem estereótipos. Deve manter a forma e movimentos da maneira mais natural possível. Não deveria ficar “engessada”, proporcionando apenas poucos movimentos, mas possuir braços e pernas que possuam mobilidade, permitindo posições e movimentos naturais.

Confeccionar a boneca com a forma de ser humano saudável certamente incentivará a criatividade e imaginação da criança. O brincar exige esforço do Eu – ao imaginar as brincadeiras. Esta imaginação deveria, portanto ser alimentada por um ambiente adequado e brinquedos saudáveis.  O adulto deveria ajudar a criança a criar um cantinho especial para seus bonecos e brinquedos, ajudar a mantê-los limpos e em ordem, respeitando enfim este espaço de criatividade.

Não é aconselhável oferecer um boneco com deficiência (faltando membros ou imitando qualquer patologia que a criança possa ter), pois o ser interno da criança ela é a imagem e semelhança de um ser sem patologias.  Por exemplo: A criança com deficiência recebe uma boneca com uma deficiência. A partir de uma melhoria ou cura da patologia pode ser que ela não considerar mais a boneca como verdadeiramente sua. Isto pode refletir como uma perda para a criança e também a perda de elementos riquíssimos representados pela boneca.

Devem-se utilizar as características gerais e naturais da criança, sem exageros, ao confeccionar uma boneca. O mesmo deveria ser observado para todas as etnias, o que favorecerá enormemente a valorização de todos os seres do planeta. Por exemplo, se a criança é de etnia afro ela deve ter a boneca principal dela com esta característica. Isto a ajudará à construção de sua auto-estima e dará a oportunidade de outras crianças perceber, respeitar ou aprender a respeitar e amar a diversidade étnica.

Os meninos deveriam ser incentivados a ter um boneco. Ao brincar com seu boneco eles estarão exercitando o respeito e possibilidade de expressar seus sentimentos de forma natural e saudável.

Confeccionar ou restaurar um boneco ou boneca para uma criança é uma arte que exige habilidade e extrema responsabilidade pois pode se tornar companheiro de uma vida inteira. É um brinquedo que está ou fica próximo à área do sentimento, ou seja, do coração da criança. Podemos observar que poucos brinquedos são acalentados nesta área do corpo. A boneca acompanha as crianças em suas alegrias, tristezas, viagens, perdas, e comemorações enfim, vivencia junto as experiências. Este brinquedo faz a história da criança com a criança, e podemos observar que encerra algo mais em si. 

Este é um dos inúmeros motivos em que se deveria incentivar o brincar com bonecas e bonecos também para os meninos.

Os bonecos e bonecas abaixo medem cerca de 50 cm e pesam em torno de 950 g. Ideais paracrianças a partir de 3 anos. O tecido utilizado para a pele dos bonecos é a malha de algodão. Seu enchimento é feito com lã de carneiro, o que permite a maleabilidade e a correspondência dos fatores peso x visualização do boneco, o que vem a trabalhar de forma saudável os sentidos da criança.


Os materiais
As informações do mundo chegam até o ser humano através dos sentidos. As brincadeiras são uma das portas de entrada para os elementos sensoriais. E tão importante quanto as brincadeiras são os materiais com que são confeccionados. O material deveria ser o mais natural possível. Este tipo de material conta facilmente a sua história e isto é bastante saudável para todos, sobretudo para as crianças.
Para o enchimento é comum utilizar-se a lã de carneiro. Quanto mais cardada a lã estiver, melhor o resultado do trabalho.
O material para cobrir o boneco, (a pele), deve ser de material bastante maleável e o mais recomendável é a malha de algodão que deverá ser cuidadosamente escolhida, de boa textura, de cor uniforme, sem tonalidades mistas. Se observarmos estes elementos teremos um boneco agradável ao toque e ao olhar. É importante salientar que a superfície educa o tato.
o quase passo-a-passo:




o molde pode ser costurado junto com o tecido à máquina (ou à mão). Isto permite melhor manuseio da malha. Se a máquina de costura tiver dispositivo para costura flexível (para malhas) é ótimo.

costurar os dois fios (horizontal e vertical) na altura das "orelhas", para firmar antes de descer com o fio da parte posterior da cabeça. A foto da cabeça com este fio abaixado virá noutra ocasião para este espaço.


.

O nariz
O momento de fazer o nariz é quando a cabeça já estiver amarrada vertical e horizontalmente, e com a nuca já formada logo após o passo acima. Bem no meio da amarração horizontal, na região da face, pode-se marcá-lo. Ele deverá ser feito puxando a lã do interior da cabeça com uma agulha. Depois, costurar em volta deste pequeno volume de forma a não permitir que a lã volte para o interior da cabeça.
(logo será postada uma foto deste momento)
O nariz pode ser feito de várias formas.  A que acho mais prática e segura é puxar com uma agulha com linha um pouco de lã e formar uma protuberância no formato e tamanho que desejar. Costurar bem, por todos os lados e também por baixo da bolinha (nariz) para que a lã não retorne para o interior da cabeça e não se mova depois que tenha sido colocado o tecido (pele).

A cabeça

A cabeça exige muito esforço e atenção. Ela deve se dura e ter costurada a malha bastante justa que deve estar bem fixada tanto vertical quanto horizontalmente.  Isto permite que o fio que marca os olhos não apareça sob a malha e facilita fazer com que o pescoço não tenha rugas. Esta regra de pescoço sem rugas deve ser muito bem observada.


A cabeça do ser humano é dura por fora e mole por dentro.  Pois assim deve ser confeccionada a cabeça do boneco, com apenas lã no interior, mas que seja dura o suficiente. Ela deve repousar firmemente sobre os ombros.

Deve ser de forma esférica, sem alongamentos ou achatamentos ou formas que não correspondam à realidade natural do ser humano. Não há necessidade de se utilizar ferros ou madeira para prendê-la ao tronco. Esta união deverá ser elaborada com parte da lã utilizada para o preenchimento da cabeça.



As proporções

Todo ser humano guarda em si a noção das proporções. E porque possui sensibilidade muito acurada a criança percebe em seu interior quando esta proporcionalidade não está presente.  Cabe ao adulto se quiser recriar em si esta sensibilidade, observar, analisar e sentir as diferentes formas presentes na natureza.



O tronco
O tronco deverá ser nem muito mole nem muito duro. Deverá ter em seu comprimento uma vez e meia o comprimento da cabeça
Os membros

Os membros deverão ser mais duros do que o tronco e menos duros do que a cabeça.

Os braços e as mãos
Comprimento dos braços:
 Quando levantados em direção às laterais da cabeça as mãos deverão tocar no lado superior da cabeça, isto é, logo após a região das orelhas.
Cuidar para que os braços sejam de espessura mais fina que as pernas. Para o preenchimento de mãos que tenham dedinho torna-se mais fácil preenchê-lo com uma bolinha de lã e prender com um alfinete que só deverá ser retirado depois que a mão e braço estejam prontos. Isto vai permitir que o dedinho mantenha a firmeza e a lã não saia do lugar.   
As pernas e os pés -
O comprimento das pernas: As pernas, sem contar os pés, deverão ser igual ao comprimento do tronco. As pernas deverão ser mais grossas do que os braços. Depois de prontas, ao dobrar as pernas ao longo do tronco, os pés deverão tocar na altura da boca do boneco.
Para o enchimento das pernas e pés deve-se cuidar para preencher com lã a parte da frente dos pés, depois o peito, sola, calcanhar e perna. Esta ordem de enchimento é mais eficaz, pois permite uniformidade.



a medida do tronco: uma vez e meia o comprimento da cabeça






A parte inferior da cabeça – como evitar as rugas.

Esta área do corpo merece bastante atenção no sentido de não conter rugas. Isto porque criança não tem rugas, que poderão até ser permitidas se o boneco que estiver sendo confeccionado for um vovô ou uma vovó. Cuidadosamente pode-se conseguir um ótimo acabamento esticando bem o tecido (pele), evitando assim as dobras ou rugas.Ter o cuidado para não deixar rugas verticais quando fizer a amarração. Uma boa dica é manter o tecido (pele) o mais justo possível tanto horizontal como verticalmente. Costurar um tubo e vestir o miolo da cabeça também é uma forma prática para se conseguir bom resultado. Outra dica é dar um corte no tecido na altura da nuca. Daí, puxando firmemente o tecido para a parte de trás pode-se ir costurando e moldando a cabeça dando a forma necessária.




a "pele" da cabeça deve estar bem presa à malha que forma o tronco, com ponto invisível.


observação: sem rugas!


agora o nó mágico:


faz-se um E com o fio


agora faz-se um outro E e o coloca ao lado do primeiro E
  


depois coloca-se o primeiro E em cima do segundo E.


 Coloca-se o pescoço do boneco dentro deste espaço formado


e agora puxa-se as duas pontas do fio. Pronto, o nó fica firme, sem precisar segurar.


marcar o "bumbum" dá uma nuance delicada quando coberto com o tecido (pele)


os olhos devem obedecer a uma distância como um triângulo equilátero entre eles e a boca. O ideal é marcar antes com alfinetes e aos poucos ir ajustando... só depois pintar ou bordar.



O boneco ou boneca não deve ser grande demais em relação ao tamanho da criança, que deve sentir conforto e prazer em acalentar e tomá-la nos braços.

antes de colocar o cabelo torna-se necessário crochetar ou tricotar um gorrinho com a mesma lã que for escolhida para o cabelo. Trata-se de medida preventiva pois não corre-se o risco de danificar a malha do "couro cabeludo", bem como facilita em caso de restauro.

Ah!  as bochechas!
Opcionalmente pode-se com um pequeno tecido pintado com giz de cera de boa qualidade dar um tom rosado nas bochechas da boneca. A forma mais segura é passar o giz de cera num pequeno pedaço de malha ou lã e então passar delicacamente este material pintado nas bochechas da  boneca. Esta providência deve ser repetida ao longo da vida da boneca, para não parecer pálida.


taí a menina... prontinha para viajar ... seu nome? ainda não sabemos, mas a mamãezinha dela é uma menina muito linda que se chama Giovana.



Os olhos
Os olhos não deverão estar muito juntos nem muito separados. A medida ideal é de formar um triângulo eqüilátero com a boca. Podem ser pintados ou bordados. A utilização de uma agulha bem grande e fina facilita passar a linha de bordar por dentro da cabeça para o bordado.
A boca
Não há necessidade de colocar sorriso na boneca. A criança tem criatividade suficiente para imaginar se seu boneco ou boneca está sorrindo ou não. A boca pode ser pintada ou bordada
também com a utilização de uma agulha fina e comprida. Se a boca for bordada deve-se ter o cuidado para não apertar o ponto de bordado principalmente nos cantos da boca, para que se apresente de forma bem natural.



O peso

O peso do boneco está intimamente ligado ao material do seu enchimento. A lã de carneiro é muito apropriada, pois reúne qualidades inigualáveis. Não só pela delicadeza do material, mas também pela durabilidade da forma que se mantem por tempo indefinido. Não incomoda no verão e ajuda a aquecer no inverno, pois retem a temperatura. A lã não embola dentro do boneco mantendo-se uniforme, sem endurecimentos.  E importante: a lã mostra o peso real do boneco, o que não acontece com outros materiais como a espuma e o isopor por exemplo. Este é um dos elementos mais importantes de educação dos sentidos: o peso corresponder à expectativa do que se vê.



Os cabelos

De preferência eles deveriam ser da mesma cor cabelos da criança que ganhará a boneca. Não deveríamos incentivar o uso de cores artificiais, ou melhor, que não são naturais no ser humano.




Cabelos encaracolados
Uma dica é tricotar a quantidade desejada de lã. Depois que estiver pronto colocar em água fervente. Depois colocar no congelador. Depois passar à ferro. Repetir durante várias vezes e depois desfazer o tricô. Gosto de chamar este processo de permanente à quente.




luluzinha preparando para a viagem de negócios e despedindo- se  dos amigos.







O pai deste menino das fotos acima se chama Iuri , que ganhou uma irmãzinha recentemente, que se chama Isa.

l
                                      descanso Praça Padre Anchieta em Florianópolis                                         
 



    luluzinha pós viagem  


                  
Na cabeça, que é dura por fora e mole por dentro, deve-se ter um claro e calmo pensar. Com os membros que são de forma radiais e contem o duro osso por dentro e o macio por fora deveríamos agir sempre de forma correta. Com a região do sentimento, situado no tronco, que intermedia os dois pólos, através do ritmo, poderemos conciliar um pensar e agir com sentimento nobre. Quem sab então um pensar e um agir verdadeiramente amoroso? E podemos ter a certeza de que quando confeccionamos um boneco ou uma boneca para uma criança com sentimento amoroso o resultado é em geral muito surpreendente.